O Custo do Desconhecimento

31/05/2022 00:10:47

2 min e 53 segundos

Principais pontos da leitura

Há pessoas que já investem mas sentem que a evolução é muito lenta, outras que não conseguem sequer poupar e um grupo significativo de pessoas que estão entrando no buraco negro do endividamento.
Precisamos entender que apenas informação sobre finanças e investimento não são suficientes.
Precisamos ir além dos números, considerando aspectos pessoais, familiares, sociais, e profissionais.

Há uma frase que diz que, “se você acha que conhecimento é caro, experimente a ignorância”. A própria palavra de Deus diz que “o povo perece por falta de conhecimento”, na verdade, se você olhar esta passagem bíblica ela vai além, pois na sequência ela continua: “porque rejeitaste o conhecimento”, isto é, há pessoas que tem  oportunidade de receber o conhecimento, mas dão de costas para ele. Para encerrar as citações, um provérbio chinês afirma que  “conhecimento sem prática não é conhecimento”.

Todas essas citações vieram à mente porque mesmo com tantos gurus, blogs e aplicativos que abordam temas relacionados à finanças, o que mais tem me surpreendido é o número de pessoas que chegam até nós buscando ajuda para melhorar seus resultados financeiros.

Há pessoas que já investem mas sentem que a evolução é muito lenta, outras que não conseguem sequer poupar e um grupo significativo de pessoas que estão entrando no buraco negro do endividamento.

Essas pessoas seguem o fulano de tal, compram aqueles best-sellers famosos sobre sucesso financeiro, tem suas contas nas gestoras conhecidas da vida mas continuam com a sensação de que lhes falta algo mais.

Precisamos entender que apenas informação sobre finanças e investimento não são suficientes. Precisamos ir além dos números, considerando aspectos pessoais, familiares, sociais, e profissionais. Em alguns casos até questões espirituais devem ser colocadas na balança.

Também é necessária ir além de mundo das finanças e entrar na esfera comportamental, psicológica, cultural, etc. Alcançar o sucesso financeiro não é fácil, mas também não é tão difícil assim.

Essa é a pura verdade. Torna-se algo simples se acertarmos muito mais do que erramos. O que vemos é o inverso. Pequenos erros, cometidos constantemente, por longos períodos de tempo. É uma fortuna jogada pelo ralo.

Ao invés de se preocupar tanto em saber sobre as tendências da ata do dólar, a performance das bolsas de valores no mundo e os reflexos das decisões político econômicas, teremos melhores resultados se nos concentrarmos em aprender os princípios básicos da Educação Financeira que, de forma simplificada são:

  • Gestão de endividamento
  • Organização financeira
  • Fundamentos básicos sobre investimentos.

Quando as pessoas pararem de complicar as coisas e buscarem esse caminho objetivo, pode ter certeza que toda a sociedade se beneficiará. A Educação Financeira pode fazer parte de sua vida buscando cursos sobre o tema para aplicar os conhecimentos em sua própria vida pessoal, familiar e empresarial.

Pense nisso, se a cada mês você melhorar um pouquinho sua forma de gerenciar seus recursos financeiros, em tempo recorde você conquistará a saúde financeira, base para a liberdade financeira.


Fonte: ESCEF Educação Financeira

Investimentos RPPS é um portal independente de publicações sobre mercado financeiro, gestão e finanças em geral. Voltado, principalmente, para Regimes Próprios de Previdência Social.
05/08/22
Influência Digital: como evitar compra por impulso?
29/07/22
Maioria das tentativas de fraude acontece em bancos e cartões, aponta pesquisa
22/07/22
De volta aos anos 80? Brasileiros usam antigas táticas na hora de fazer compras

Leia também

Deixe o seu comentário