Bancos digitais são realmente seguros?

22/08/2021 21:11:22

3 min e 6 segundos

Principais pontos da leitura

Recentemente, com a pandemia, o processo de digitalização dos serviços foi acelerado uma vez que as medidas restritivas de convívio social forçaram a utilização de plataformas remotas.
Com relação aos bancos 100% digitais, as dúvidas mais comuns são sobre possível falta de segurança de dados ou o que aconteceria caso o banco (digital) viesse a quebrar.
Caso você esteja em dúvida se a instituição é real ou não, pode verificar seu CNPJ, razão social e regulamentação no site da Receita Federal.

A internet continua nos trazendo conforto e agilidade em tudo, no entanto quando o assunto é dinheiro, mas o questionamento a respeito da segurança dos bancos digitais ainda permeia parte relevante da população. Recentemente, com a pandemia, o processo de digitalização dos serviços foi acelerado uma vez que as medidas restritivas de convívio social forçaram a utilização de plataformas remotas, seja o Internet Banking, caixas eletrônicos, aplicativos, dentre outros.  Como mencionado, parte da população foi “forçada” a entrar nas plataformas digitais oferecidas pelos bancos, ou até mesmo a abrirem contas em bancos puramente digitais.  Com relação aos bancos 100% digitais, as dúvidas mais comuns são sobre possível falta de segurança de dados ou o que aconteceria caso o banco (digital) viesse a quebrar.  Ao abrir contas em bancos digitais, alguns aspectos indicativos de segurança devem ser observados. São eles:

  • Controle do Banco Central: Todos eles são regulamentados pelo Banco Central. Isso garante segurança e serve para evitar qualquer tipo de problema com os serviços online.
  • Existem regras para os bancos operarem: O Conselho Monetário Nacional (CMN) determinou novas regras para os bancos operarem digitalmente. Em resumo, as instituições financeiras digitais precisam elaborar uma política de segurança cibernética, com definições de requisitos para a contratação de serviços de armazenamento de dados, de computação em nuvem e de processamento.
  • Proteção de dados: A segurança na internet não é um problema apenas das instituições financeiras. Uma das formas de um banco digital ser seguro é protegendo as transações. Por isso, eles utilizam protocolos de navegação mais seguros, como o “HTTPS”, no qual as informações são criptografadas para evitar interceptações e ataques cibernéticos.
  • Bancos tradicionais estão mais digitais: A digitalização dos serviços bancários é um caminho sem volta. Até mesmo os bancos tradicionais têm investido no digital. Eles têm nos incentivado a usar cada vez mais os aplicativos e o internet banking no desktop.

Se você ainda ficar com dúvida sobre o banco digital do seu interesse, você pode pesquisar sobre o banco. Cheque a opinião de quem usa. Você pode usar as redes sociais, sites como o Reclame Aqui e o Procon. Caso você esteja em dúvida se a instituição é real ou não, pode verificar seu CNPJ, razão social e regulamentação no site da Receita Federal.

Para reflexão: Você já percebeu que as agências de bancos tradicionais estão diminuindo? A digitalização dos serviços bancários está cada vez mais presente no nosso dia a dia. Os bancos tradicionais têm investido no digital.  A verdade é que o risco existe para ambos os bancos, tradicionais e digitais. A diferença está na forma com que cada instituição faz a gestão e proteção de seus dados, por exemplo. Os bancos digitais são uma tendência e os bancos tradicionais já estão se adaptando.  


Por Dannielle Porto / Consultora de Investimentos CVM

25/10/21
Sete em cada dez brasileiros têm dificuldade em poupar
19/10/21
Por que fazer planejamento previdenciário?
03/10/21
Seu cérebro, investimentos e a neuroeconomia

Leia também

Deixe o seu comentário