O que é o metaverso e qual a relação com o mundo dos investimentos?

12/05/2022 00:10:16

5 min e 29 segundos

Principais pontos da leitura

A tecnologia é uma área que apresenta uma constante e rápida expansão nos últimos tempos.
Com essa evolução, os investimentos também são afetados pelos novos paradigmas.
Mais do que presente na ficção científica, o metaverso é um passo novo na história da tecnologia.

A tecnologia é uma área que apresenta uma constante e rápida expansão nos últimos tempos. Com essa evolução, os investimentos também são afetados pelos novos paradigmas. Por isso, quem quer se manter atualizado precisa saber mais sobre o metaverso — você já ouviu falar sobre ele?

Mais do que presente na ficção científica, o metaverso é um passo novo na história da tecnologia. Quer saber o que é o metaverso, como ele funciona e sua relação com os investimentos? Então acompanhe esse artigo!

O que é o metaverso?

Antes de entender a relação do metaverso com investimentos é preciso conhecer esse conceito tecnológico. O metaverso ganhou mais notoriedade quando o Facebook mudou seu nome para Meta. A palavra se refere a ambientes digitais tridimensionais que podem ser acessados por pessoas do mundo todo com acesso à internet.

Dessa forma, é importante saber que o metaverso não é apenas um local digital criado por uma empresa. Metaverso é um universo virtual que pode ser controlado, ou não, por entidades privadas. Interessante, não é?

Logo, no metaverso é possível interagir com objetos virtuais, realizar operações e se comunicar com outras pessoas. A ideia dos desenvolvedores e de quem aposta nesse conceito é que ele sirva como uma maneira de interação e um novo ambiente virtual.

Desse modo, em vez de abrir o seu navegador ou uma rede social, você entraria em um metaverso e encontraria diversas funcionalidades lá. Por isso, o metaverso está sendo chamado de futuro da internet.

Apesar de ainda ter um acesso mais restrito, o metaverso já pode ser acessado atualmente. Então já há tentativas concretas de implementar esse espaço e proporcionar uma utilização de suas funcionalidades.

Como o metaverso funciona?

Você entendeu que o metaverso serve como um espaço virtual em que pessoas interagem digitalmente com objetos, serviços e outros indivíduos, mas como ele funciona?

Para que essa interação aconteça, a ideia é que o metaverso seja apoiado por tecnologias. Em especial, as tecnologias de realidade virtual e realidade aumentada. A primeira diz respeito à possibilidade de interação por meios de óculos específicos para essa finalidade. Já a realidade aumentada permite uma interação com objetos virtuais no mundo real.

Dessa maneira, em vez de utilizar a tela do computador ou celular, o usuário interage com o mundo virtual de forma completa e em 360 graus, em primeira pessoa.

Um exemplo mais básico da realidade aumentada é o jogo Pokémon GO — você o conhece? Nele, os jogadores podem andar pela cidade e encontrar Pokémons gerados automaticamente pela câmera do celular como se estivessem presentes em lugares físicos.

Utilizando essas duas tecnologias, é possível participar do ambiente com total imersão. Para tanto, esses ambientes podem utilizar diversas tecnologias para garantir segurança e acessibilidade. Bacana, não é?

O conceito mais comum atualmente é basear toda a rede em um blockchain. Essa tecnologia é a mesma utilizada para a maioria das criptomoedas e os NFTs (non fungible tokens), que estão em alta no mundo digital.

Como esse sistema é descentralizado e não regulamentado, entende-se que há mais liberdade para a expansão e construção de regras e potencialização de segurança. Afinal, não há um servidor nem uma base de dados únicos.

Qual a relação do metaverso com os investimentos?

Após saber um pouco mais sobre o que é o metaverso, você deve estar interessado em como ele se relaciona com os investimentos, não é mesmo? Nesse sentido, existem diversos desdobramentos para entender os reflexos no mercado financeiro.

Quem acredita no crescimento do metaverso pode investir em empresas que estejam ligadas a essa tecnologia. Assim, comprar ativos de determinadas companhias que estão apostando nesse ambiente, por exemplo, é uma das possibilidades para ter exposição aos resultados desse mercado.

Além do investimento direto, existem pessoas interessadas na especulação em ativos digitais relacionados ao metaverso. A ideia é obter lucro em curto prazo, aproveitando-se da oscilação de preços de ativos ou derivativos. Por isso, ela não é considerada uma estratégia de investimento, mas uma operação com o foco em lucros mais rápidos.

A especulação permite que diversos ativos sejam utilizados para buscar lucros. Assim, ativos relacionados com o metaverso também podem fazer parte dessas estratégias, tendo em vista que há um forte interesse do mercado nas relações econômicas desses universos digitais.

Nesse contexto, ganham destaque os NFTs, criptoativos e outros tokens de utilidade. E você pode acessá-los indiretamente via mercado de investimentos tradicional — como você verá adiante.

Viu como o metaverso pode mudar a relação atual com os investimentos, trazendo novas oportunidades para investidores e especuladores? Para aumentar as chances de fazer escolhas acertadas, no entanto, é fundamental acompanhar a evolução dessa tecnologia e suas alternativas.

É possível investir no metaverso?

Como você descobriu, o metaverso tem relação com investimentos, principalmente no que se refere a ativos digitais. No entanto, não é possível investir diretamente nele, já que eles não são ativos em si.

Porém, você pode investir ou se expor a alternativas atreladas a esses ambientes de diversas formas. Nesse contexto, uma das oportunidades são os exchange traded funds (ETFs).

Eles são fundos de investimento com o objetivo de espelhar determinados índices financeiros. Logo, há índices que replicam resultados de ativos de empresas ligadas ao metaverso ou mesmo a tokens, abrindo espaço para quem deseja investir ou especular no setor.

Além disso, também é possível investir em empresas ligadas ao metaverso, direta ou indiretamente. A Meta, por exemplo, é uma das pioneiras entre as grandes multinacionais que acreditam nesse segmento — e você pode se expor a ela via brazilian depositary receipts (BDRs), disponíveis na bolsa de valores brasileira (B3).

Antes de tomar uma decisão, no entanto, não deixe de fazer uma avaliação do seu perfil de investidor e objetivos financeiros. Assim, será mais fácil escolher as alternativas mais adequadas para você, combinado?


Fonte: Como Investir / Anbima

Investimentos RPPS é um portal independente de publicações sobre mercado financeiro, gestão e finanças em geral. Voltado, principalmente, para Regimes Próprios de Previdência Social.
16/06/22
Conheça 8 órgãos reguladores do mercado financeiro
14/06/22
Faça a alta da taxa de juros trabalhar a seu favor
07/06/22
O valor inestimável do longo prazo

Leia também

Deixe o seu comentário