Índices de Renda Fixa e Variável

Por Mário Fernando de Sousa / Sócio Diretor da Sete Confiança

CONTEÚDO EXCLUSIVO

Antes de falarmos em índices de renda fixa e variável, precisamos entender o que são esses índices e porque são tão utilizados. Na prática, os índices são indicadores de desempenho de determinados ativos financeiros. Podemos imaginar que são como termômetros, que nos permitem acompanhar a “temperatura” do mercado em termos de rentabilidade de cada investimentos. O índice mais conhecido no mercado financeiro é o CDI. Ao vermos que determinado investimento é atrelado ao CDI já sabemos de cara que sua rentabilidade está relacionada à taxa Selic, por exemplo.

É importante mencionar que, embora seja de longe o mais conhecido, o CDI não é o único índice de Renda Fixa. Na verdade, existem vários outros e cada um representa produtos de investimentos específicos.

Principais Índices de Renda Fixa

  • IMA-Geral: O Índice de Mercado Anbima – Geral é composto por um conjunto de índices calculados diariamente que representam a rentabilidade de títulos públicos no Brasil. O IMA-Geral é subdividido em IMA-B, IMA-S e IRF-M.
  • IMA-B: Trata-se de um Índice que acompanha a rentabilidade de uma carteira teórica de títulos públicos atrelados à inflação. Se temos interesse em acompanhar uma carteira ampla com TESOURO IPCA+ com diversos vencimentos, é para esse índice que devemos olhar. Se desejamos acompanhar títulos atrelados à inflação com vencimento menor que 5 anos, devemos acompanhar o IMA-B 5 e se o interesse for os TESOURO IPCA+ com vencimento em 5 anos ou mais, o índice de interesse é o IMA-B 5+.
  • IMA-S: Trata-se de um índice que busca representar a rentabilidade de títulos públicos pós fixados, isto é, do TESOURO SELIC.
  • IRF-M: Este índice acompanha a rentabilidade de uma carteira teórica de títulos públicos prefixados, o TESOURO PREFIXADO e o TESOURO PREFIXADO COM CUPOM. Se temos interesse em acompanhar uma carteira ampla títulos prefixados com diversos vencimentos, é para esse índice que devemos olhar. Se desejamos acompanhar títulos prefixados com vencimento menor que 1 ano, devemos acompanhar o IRF-M 1 e se o interesse for títulos prefixados com vencimentos maiores que 1 ano, o índice de interesse é o IRF-M 1+.

Principais Índices de Renda Variável

Os índices de Renda Variável por sua vez, buscam segregar a bolsa de valores segundo diversos critérios. Cada índice reflete a rentabilidade daquele segmento específico, no Brasil os principais índices de Renda Variável são o Ibovespa, o IBX, IBX-50, IDIV e SMLL, mas existem diversos outros.

  • Ibovespa: O Ibovespa é o principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3 e reúne as empresas mais importantes o mercado de capitais brasileiro. Reavaliado a cada quatro meses, o índice é resultado de uma carteira teórica de ativos. É composto pelas ações e units de companhias listadas na B3 que atendem aos critérios descritos na sua metodologia, correspondendo a cerca de 80% do número de negócios e do volume financeiro do nosso mercado de capitais. (Fonte)
  • IBrX: É um índice que mede o retorno de uma carteira hipotética composta por 100 ações selecionadas entre as mais negociadas na BOVESPA, em termos de número de negócios e volume financeiro, ponderadas no índice pelo seu respectivo valor de mercado.
  • IBrX-50: É um índice que mede o retorno de uma carteira hipotética composta por 50 ações selecionadas entre as mais negociadas na BOVESPA, em termos de número de negócios e volume financeiro, ponderadas no índice pelo seu respectivo valor de mercado.
  • IDIV: Este indicador mede o desempenho médio das ações que mais remuneram os cotistas. Essa remuneração pode ser na forma de dividendos como juros sobre o capital próprio.
  • SMLL: Este indicador tem por objetivo medir o comportamento das empresas negociadas na bolsa de valores com menor capitalização. As ações que compõem o índice são selecionadas por liquidez, e ponderadas pelo valor de mercado das ações disponíveis para negociação.

Como eu disse, esses são os principais índices de Renda Variável, mas existem vários outros. Existe um índice para empresas do setor de energia elétrica, para empresas do setor de consumo, para construtoras, para bancos e por aí vai.

Ao avaliarmos determinado produto de investimento, precisamos comparar seu histórico de rentabilidade com alguma coisa. Essa “coisa” é o índice de referência para aquele produto. Assim, é fundamental que a escolha do índice seja compatível com o produto que estamos querendo avaliar. Não faz sentido analisar o desempenho de uma empresa com bom histórico de pagamentos de dividendos com o índice de Small Caps, por exemplo. Não se espantem. Estes erros na escolha do índice de comparação são muito
comuns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *