O fim do dinheiro físico está próximo?

Por Joane Weinert Investimentos RPPS

CONTEÚDO EXCLUSIVO

A ideia do dinheiro foi inventada com o objetivo de agilizar as transações comerciais. Ao longo dos séculos, o dinheiro evoluiu e adquiriu diversas formas, entretanto, as funções básicas não mudaram muito desde a sua concepção. Boa parte da população prefere utilizar o papel-moeda pois parece não confiar em um banco ou fintech a custódia do que economizou.

Com a transformação que o mundo vem passando este ano, com a chegada do coronavírus a tecnologia foi incluída nosso dia a dia em todas as áreas. A evolução tecnológica e a necessidade de isolamento fez com que o mercado se adaptasse para a economia poder continuar girando.

A tendência global de digitalização contribuiu para a redução da quantidade de transações com dinheiro físico. No mundo financeiro a tecnologia deixou as transações mais rápidas, fáceis e seguras. Com esse processo de transformação o uso do dinheiro convencional dá sinais de que está chegando ao fim.

A forma como a população lida com o dinheiro vem mudando com a inclusão dos pagamentos digitais. Seguindo esta tendência o Banco Central anunciou recentemente o lançamento do PIX, sistema de pagamentos instantâneos que chega com a ideia de substituir as transações com dinheiro em espécie. Um novo meio de pagamentos com o intuito de baratear o custo das operações de pagamentos e transferências. A ideia é que ele possa funcionar para realização de transferências 24 horas por dia, 7 dias da semana, em todos os dias do ano. Além disso, as transações serão realizadas em segundos.

Os avanços para a implementação do pagamento instantâneo fazem parte de um conjunto conjunto de iniciativas do Banco Central para a modernização do sistema financeiro nacional. Anteriormente anunciado para novembro, esta semana o Banco Central antecipou a primeira etapa de lançamento do PIX para 5 de outubro. Nesta data, clientes de bancos já poderão fazer registros de chaves que vão permitir o recebimento de pagamentos pelo PIX e substituir dados como número do banco, agência e conta.

A impressão de moedas e cédulas tem sido muito debatida pelas consequências que seu custo por causar para a retomada econômica do Brasil. Assim, o processo de digitalização do dinheiro pode trazer vários benefícios para a economia, como redução de custos associados à fabricação, armazenagem e transporte de papel-moeda.

Hoje, os pagamentos digitais são prova para a inclusão social ao sistema financeiro e este modelo que tende a perdurar no pós-pandemia. No entanto, a moeda em espécie não deve sair totalmente do nosso cotidiano em pouco tempo. Mas, esta digitalização monetária causará grande impacto no mundo, com um processo mais rápido e trazendo como benefícios facilidade, rapidez e, acima de tudo, segurança de utilização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *