Oh vida, Oh céus, Oh azar!

27/10/2023 16:44:18

3 min e 4 segundos

O pequeno e estranho título com certeza não mexerá com a memória de grande parte dos leitores. Ele faz menção a Hanna Barbera. Que isso? Melhor, quem é?

Ao consultar o site Cultura 930, tem-se que, a produtora “Hanna-Barbera Productions foi formada em 1957 por William Hanna e Joseph Barbera, que durante anos foram animadores e produtores de muito sucesso na MGM Studios (a Metro-Goldwyn-Mayer, aquela do leão no início dos filmes), onde no final dos anos 1930 criaram a dupla de gato e rato Tom & Jerry”. Criou também uma dupla inesquecível da geração dos anos 1980. Um leão e uma hiena. Esta última criatura atendia pelo nome de Hardy. O leão recebeu o nome de Lippy. Ela, pessimista por natureza e ele totalmente o oposto, sempre otimista.

Oh vida, oh céus, oh azar…A toda instante Hardy repetia as três sentenças como se fosse um mantra. E o Lippy? Lippy dava seu jeito.

Oh semana…

Sem qualquer trocadilho, Lupi ( e não Lippy) sacudiu os regimes próprios de previdência social ao dizer que em 2024 “vão” rever a “reforma da previdência”. A terra e o planeta Terra tremeram.
As placas tectônicas sem sequer tinham aquietado quando a Confederação Nacional dos Municípios emitiu nota regozijando-se de uma possível conquista. Os municípios brasileiros possivelmente vão passar a recolher apenas oito por cento de contribuição previdenciária “patronal” (para o INSS). E a trilha musical dos gestores municipais com certeza não foi outra que não a do Raça Negra “maravilha, nossas vidas…”. Pois é, sacode a poeira.

Só oito por cento? Os “entes federados municipais” com certeza fizeram igual a Escola de Samba Fluminense “Imperatriz” e entoaram um samba enredo. “Liberdade, liberdade! Abra as asas sobre nós.”

Mas e os RPPSs?

Eles? Poderiam cantar com Zélia Duncan: “O deserto que atravessei/ Ninguém me viu passar/ Nem pude ver/ Que o céu é maior…” Afinal gerir um RPPS não é para amadores. É preciso ser forjado na dura batalha do dia-a-dia ( e nas mil e uma leituras). Ou então, cantar com Chico, o Buarque: “o que será, o que será, que andam sussurrando…” (sim, o que será que parlamentares andam sussurrando nas galerias do Senado e da Câmara). Ou, ainda com ele, o imortal Chico, “apesar de você, amanhã há de ser outro dia” ( sim, apesar do céu que ficou nublado pelo Lupi e pela CNM). Oh céus, oh dia…Oh semana. Pois é! Entre recolher 20% para o RPPS ou 8% para o Regime Geral não há o que escolher.

Lembram daquela publicidade que ao final dizia que brasileiro não desiste nunca? O nome disso na administração é resiliência. RPPS é como o bambu plantado e sacudido pelo vento. Verga mas não é arrancado ( espera-se que assim seja).

Ante as turbulências encontradas pelo vôo comandado pelos pilotos Lupi e CNM talvez haja tempo para cantar com Milionário e Zé Rico. “Quebrei a taça da amargura/ Atirei seus pedaços ao vento/ Gritei bem alto: viva a vida!/ O sol que andava meio ausente/Voltou a brilhar novamente”
Vida que segue.


Por Heli Maia / Dirigente do Instituto de Previdência de Itaúna (MG)

Investimentos RPPS é um portal independente de publicações sobre mercado financeiro, gestão e finanças em geral. Voltado, principalmente, para Regimes Próprios de Previdência Social.
Conteúdo produzido por parceiros do portal Investimentos RPPS. A reprodução é permitida desde que a fonte seja citada.
Este texto representa a opinião do autor não, necessariamente, a opinião deste portal.
28/05/24
Fortalecendo a Governança Corporativa: A Colaboração Estratégica entre Controles Internos e Auditoria Interna
22/04/24
MPS divulga material sobre recentes alterações na Portaria 1.467/22
12/04/24
Veja como o déficit da Previdência deve ficar cada vez pior até 2100

Leia também

Comentários

Valter Gonçalves
27/10/2023 - 16:54h
Professor Heli Maia, boa tarde! Você foi divino, pois tirou de uma notícias nefasta uma pela limonada. Kkk. Belíssimo texto🤝

Deixe o seu comentário